História de Samuel Lins, do Grupo Amputados Sem Limites

 em Histórias de superação

Há 13 anos, um acidente de trabalho mudou a vida de Samuel Lins, morador de Ouricuri, em Pernambuco. Ele voltava para casa após longa jornada na empresa em que trabalhava, na cidade vizinha de Ipubi. A cerca de 5 quilômetros de casa, um estouro no pneu de sua moto fez com que ele perdesse o equilíbrio.

Depois de cair fora da rodovia, Samuel foi socorrido. Embora nenhuma fratura tenha sido detectada, sua perna esquerda foi imobilizada para tratar uma torção no joelho. De volta ao lar após receber alta, ainda com o joelho inchado, Samuel percebeu que o pé esquerdo estava muito escuro. Ele também não conseguia mover os dedos.

As dores e a coragem de Samuel Lins

Vários dias se passaram até que Samuel procurasse um médico vascular em Petrolina. O diagnóstico foi preocupante. “Ele constatou que meu pé já estava totalmente comprometido. Dali em diante, a corrida seria para tentar salvar a minha perna” – conta Samuel.

Ao longo de duas semanas, o pernambucano passou por várias cirurgias até ser transferido para um hospital de Recife. “Eu sofria com fortes dores, muitas noites sem dormir e nada do quadro melhorar. Na verdade, minha perna só piorava. Já tinha necrosado e uma trombose começava.”

Na capital do estado, Samuel foi para o Hospital Oscar Coutinho, o qual passava por reformas, dificultando ainda mais a situação. Em meio ao sofrimento, o jovem de 22 anos tomou uma decisão drástica e corajosa. “Pedi para a médica fazer a amputação, só para acabar com tantas dores. Eu definitivamente não aguentava mais.”

As dúvidas e os temores

Com o consentimento dos pais de Samuel, a perna esquerda foi amputada 10 cm acima do joelho. Enfim, as dores cessaram. “Mas aí um turbilhão de coisas passou pela minha cabeça. Um jovem, louco por futebol, com um filho de 2 anos, sem nada construído na vida ainda, perder uma perna?”

A nova realidade trouxe consigo uma série de questionamentos. “O que eu faria daqui para frente? Como conseguir trabalho? Quem daria emprego a um aleijado? Como voltar para minha cidade e ser aceito?”

A reflexão e o apoio familiar foram fundamentais para que Samuel reunisse forças para recomeçar. “Eu entendi que a minha família e meu filho precisavam de mim. Então, quando eu voltei para casa, não cabia mais ninguém na rua. Havia muitos amigos, mas também muita gente curiosa para ver o primeiro jovem amputado de Ouricuri.”

O recomeço e a volta por cima

No retorno ao trabalho, Samuel passou a cumprir funções de escritório. Ao perceber que não poderia depender de muletas ou de outras pessoas, ele foi atrás de sua primeira prótese. O atendimento na unidade da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) em Recife foi mais rápido do que ele imaginava.

“Fiquei muito feliz. Estava começando a me imaginar andando novamente e voltando a fazer coisas que são simples para os outros, mas eram um desafio para mim. Não via a hora de andar com meu filho nos braços. Já estava mais maduro, me aceitava mais, começava a criar expectativas e fazer planos.”

A prótese permitiu que Samuel sonhasse com mais e encontrasse novos caminhos. “Pedi demissão de onde trabalhava e fui estudar para concursos, pois sabia que havia vagas destinadas a portadores de deficiência. Fiz vários, até que passei em um deles e hoje sou servidor público.”

Hoje, Samuel tem 34 anos e dois filhos – Lucas, de 15 anos, e Laura, de nove meses. Ele participa do grupo Amputados Sem Limites e se dedica a encorajar outras pessoas em situação semelhante. Além disso, é praticante de ciclismo e, em seu perfil no Instagram, define a si mesmo como um “amputado eficiente”.

“Sou muito grato a Deus e a minha família por sempre estarem comigo, me apoiando nas horas boas e ruins. Deus tem feito coisas em minha vida que eu jamais imaginei, eu tenho plena convicção de que nasci de novo.”

Confira outras histórias como a de Samuel Lins

Postagens Recomendadas
Mostrando 6 comentários
  • Responder

    Samuel bom dia. Muito bom contar com pessoas que são exemplo de vida. Parabéns por suas vitórias e continue firme nessa jornada. Obrigada por brilhar em nossas manchetes. Parabénssss. Jane Peralta

    • Samuel Lins
      Responder

      Eu que agradeço pelo privilégio de está no site Amputados Vencedores! Deus tem um propósito na vida de cada um de nós, seguimos sempre em frente com muita fé! Abraço!
      Samuel Lins.

      • Gilvani Batista Barbosa
        Responder

        Oi boa tarde Samuel,eu sou do interior de Minas gerais e também sou amputado,aos 15 anos de vida perdi todo meu braço esquerdo em um acidente de trabalho.gostaria de entrar em algum grupo no whatsapp de amputados,para comunicar com alguém , falar sobre serviço para deficientes , consegui prótese etc.saber algumas informações, se vc tiver como mim indicar algum faz isso por mim por favor , não só vc mas alguém que ler essa mensagem.muinto obrigado
        Tel.33988638873

        • Samuel Lins
          Responder

          Oi Geovani, um prazer enorme tê-lo no grupo Amputados sem limites… Pode contar com a gente sempre! Abraço!!!

  • Flavio lucio peralta
    Responder

    Muito bom excelente amamos a sua história que você consiga ajudar várias e várias pessoas tamo junto abraços Flávio peralta amputados vencedores

    • Samuel Lins
      Responder

      Obg! Espero poder ajudar pessoas a entender que a vida é muito linda para perdermos o prazer e a vontade de vivê-la! Abraço!

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

paulo azevedo amputados vencedores.jpg
Open chat